TAG: LIVROS 2017

books-wallpaper3

Uma das máximas mais antigas de nosso país (se não a mais antiga) é aquela que diz: “No Brasil o ano só começa depois do carnaval.” Sendo assim, agora que a tradicional festa da carne já se foi, que tal saudar o ano novo que de fato se inicia com uma breve vista d’olhos nas minhas leituras no ano de 2016 e também nas minhas metas e desafios para o ano de 2017? E como já tá virando tradição, faço isso respondendo a essa TAG na qual fui marcado lá no já distante ano de 2015, pelo sábio Mestre Ben Hazrael do Cabaré das Ideias. Inclusive, se você quiser conferir minhas respostas anteriores, é só clicar aqui e aqui.

O ano que passou foi muito proveitoso no quesito por minhas leituras em dia. Há muito tempo eu não lia tanto por puro prazer. Muito disso graças ao estímulo trazido ao ganhar meu falecido e-reader. Mesmo depois do coitado ter quebrado, continuei catando todo tipo de leitura. E nisso tenho muita sorte, pois trabalho numa universidade com uma vasta biblioteca. E como, no momento, não estou em condições financeiras para sair comprando todos os livros que desejo, é justamente essa biblioteca que tem me salvado. Infelizmente nem todos os livros desejados acabo encontrando por lá, mas os que encontro já dá pro gasto.

Por outro lado, a quantidade de leituras de quadrinhos foi bem menor do que eu pretendia. Dos 18 quadrinhos que estabeleci como meta de leitura, consegui ler apenas 9. Muito de não conseguir chegar nem perto de atingir a meta foi devido a quase  não mais adquiri quadrinhos em mídia física. Principalmente pela questão do custo, mas também pela disponibilidade de títulos ser muito maior em mídia digital. Títulos estrangeiros que dificilmente seriam publicados por aqui, são facilmente encontrados em páginas que se dispõem a traduzir essas obras e disponibiliza-las na rede. Infelizmente, a leitura desse material na tela do computador não é das mais adequadas, cansando logo a vista. E esse foi o principal motivo de não ter lido tantas HQs em 2016.

Para esse ano de 2017 estabeleci como meta a leitura de 30 livros além de 20 HQs. Falo um pouco sobre essas obras a seguir, mas se quiser saber quais são todas elas, fique a vontade para visitar minha página no Skoob ou me seguir lá, se quiser. O link é esse aqui.

E uma boa leitura!

2016

  1. Um livro e um quadrinho que te surpreenderam em 2016?

meu-casaco-de-general

Esse ano eu consegui ler livros bem variados com temáticas e gêneros um tanto diferentes entre si. Muitos desses surpreenderam por serem totalmente diferentes do que eu esperava, a exemplo de “O Nome da Rosa” do meu quase xará, Umberto Eco. Esse era um livro que eu supunha ter uma leitura mais complicada do que realmente tem, me surpreendendo pela fluidez de sua leitura, apesar das muitas e muitas partes (e mesmo alguns diálogos) em latim. Outros como “Ensaio Sobre a Cegueira” de José Saramago e “A Cor Púrpura” de Alice Walker mesmo com minha expectativa lá em cima, conseguiram ser ainda melhores do que eu tinha imaginado. E  cada um desses poderia figurar nesse quesito tranquilamente como grande surpresa, mas optei mesmo por ficar com “Meu Casaco de General” de Luiz Eduardo Soares. O livro narra os quinhentos dias em que o autor fez parte da Secretária de Segurança Pública do Rio de Janeiro durante o governo de Anthony Garotinho. Achei o livro por acaso enquanto acompanhava um colega na biblioteca da universidade onde trabalho e sua capa e temática me chamaram a atenção. Dei uma chance e tive uma mais do que grata surpresa com os relatos de puro descaso e omissão com a segurança naquele estado. Descaso esse que, com certeza não é exclusividade do Rio de Janeiro e nem ficou naquele passado nem tão distante assim do final dos anos 90 e início dos anos 2000. As já inúmeras rebeliões em presídios em todo o país somente nesse comecinho de 2017 e o caos que se instaurou no Espírito Santo com a greve dos policiais que o digam. Se tem um livro que recomendo bastante esse ano, com certeza é “Meu Casaco de General”.

antares-1-01a

Infelizmente, como eu comentei na introdução, eu não li tantos quadrinhos como eu queria. No entanto, se a quantidade foi pouca ao menos a qualidade se manteve. Eu já sou fã da série Os Mundos de Aldebaran tendo gostado muito do primeiro ciclo onde conhecemos os descendentes da tentativa humana de colonizar um planeta no sistema de Aldebaran, e do segundo ciclo onde as tentativas de colonização passam a ser no sistema de Betelgeuse. Em ambos os personagens precisam lidar com a misteriosa Mantrise e seus segredos, em tramas bem escritas, com reviravoltas e personagens interessantes com grande destaque para as personagens femininas. Outro destaque são os belos desenhos de Luis Eduardo Oliveira, ou LEO, ao apresentar mundo inteiros além de flora e fauna bem diversificada e exótica. Mesmo tendo todos esses elementos o primeiro capítulo de “Antares”, que faz parte do terceiro ciclo, conseguiu me surpreender, não apenas por manter a qualidade dos ciclos anteriores, mas também por entregar uma história nova com foco diferente em relação as demais, apresentando novos personagens e também um enigma novinho a ser desvendado pela verdadeira heroína das tramas anteriores, a jovem Kim Keller.

  1. Um livro e um quadrinho que te decepcionaram em 2016?

prato-sujo

O livro “Prato Sujo” de Marcia Kedouk chegou lá em casa emprestado por um casal de amigos. Logo a temática chamou minha atenção, pois ele se propunha a contar como a indústria dos alimentos viciou e ainda vicia nosso cérebro com substâncias prazerosas, pouco nutritivas porém muito lucrativas. O começo foi bem ao contar essa história. Mas do meio pro final o livro começou a cansar e ele acabou não sendo tudo aquilo que eu imaginava. É uma leitura leve, bem instrutivo, mas eu esperava um pouco mais dele. Talvez a expectativa é que tenha estragado a leitura.

megalex-o-coracao-de-kavatah

Eu comecei a ler a série de três HQs Megalex não apenas por ser um quadrinho de ficção científica, mas também por ter a frente o nome do autor chileno Alejandro Jodorowsky, parceiro de Moebius no clássico “O Incal”. A série foi muito bem em seu primeiro livro “A Anomalia”, apresentando o mundo de Megalex num futuro automatizado, em que tudo, até mesmo o nascimento de cada pessoa, é convertido num processo mecânico, onde não existe espaço para nenhum falha. A história tem início com a fuga de um soldado que, por ter crescido demais, é considerado uma anomalia mas consegue escapar do controle de qualidade (a execução sumária) e acaba sendo resgatado por uma misteriosa moça careca. O segundo volume, “O Anjo Corcunda”, mantém a qualidade do primeiro volume, muito embora não sem algumas críticas. A principal, ao meu ver, é a desnecessária erotização da Princesa Kavatah e da misteriosa rebelde careca (tanto uma como a outra são desenhadas com seios enormes), além do uso de uma ou duas piadas envolvendo os seios dessa última. A terceira parte “O Coração de Kavatah” não só manteve a pegada e a qualidade como também a erotização das personagens. Mas também apresentou algumas reviravoltas instigantes e revelações bem boladas. No entanto, quando a história parecia que ia engrenar pra valer, ela termina de repente num desfecho bem meia boca e decepcionante, deixando um gostinho bem amargo pra uma HQ que prometeu muito mais do que cumpriu.

  1. A melhor adaptação que você viu em 2016?

ant-man

Eu estou bem devagar no quesito filmes. Nos cinemas esse ano assisti somente Batman vs. Superman, mas embora tenha até gostado do filme, sei que ele não é nem de longe a melhor adaptação do ano. Na TV também não tenho assistido muitos filmes. Mas fiquei positivamente surpreso com o filme do Homem Formiga. Então fica sendo ele mesmo.

  1. Um livro e um quadrinho que não conseguiu terminar em 2016?

sintese-historia-da-africa

Eu não consegui ler vários livros de minha meta, alguns porque não consegui compra-los outros porque são bem difíceis de encontrar mesmo nas bibliotecas. O melhor exemplo nesse último caso foi o do livro “Sergipe Colonial II” da historiadora e geógrafa sergipana Maria Thétis Nunes. Quero muito ler esse livro não apenas pelo desejo de aprender mais sobre meu estado, mas também por ser fundamental nas minhas pesquisas para a última parte no apanhado histórico que estou publicando aqui no blog. Sem falar de sua importância para um outro projeto que venho desenvolvendo e sobre o qual falarei mais em breve. No entanto, para essa questão particular, vou citar aqui a “Síntese da Coleção da História Geral da África Vol. 2” como sendo o livro não lido em 2016. Por seu tamanho, tendo quase 1000 páginas que requerem uma leitura atenta, demorei a terminar a leitura do volume 1 e, apesar de tê-la iniciado ainda em 2016, só consegui terminar esse volume 2 em 2017.

genesis-robert-crumb-download

Robert Crumb, um dos fundadores do movimento underground, é famoso por abordar temas como drogas e sexo em suas obras. Ao decidir adaptar o primeiro livro da Bíblia deixou todo mundo curioso sobre o que ele tinha em mente. E o resultado é “Gênesis”, HQ fruto de um trabalho de pesquisa minucioso e muito sério, com uma qualidade irretocável. Infelizmente por conta do tamanho da obra não deu pra terminar sua leitura. Mas se você quer saber mais sobre essa belíssima obra recomendo assistir esse vídeo produzido pelos Quadrinheiros onde a obra é dissecada.

  1. Quantos livros e quadrinhos você conseguiu ler em 2016?

Eu tinha estipulado uma meta de 41 obras, entre livros e quadrinhos, para ler em 2016. Eram 23 livros e 18 quadrinhos, sendo que desses li um total de 29 obras: 20 livros e 9 Quadrinhos. Foram dois livros e quatro quadrinhos a mais se comparado com a meta do ano anterior. E, para minha total surpresa, foram menos páginas lidas em 2016, num total de 8.155, enquanto em 2015, li 9.267 páginas.

 2017

  1. Um livro e um quadrinho que está ansioso pela leitura em 2017?

Nas duas postagens anteriores eu expliquei que não costumo acompanhar os lançamentos de novas obras. Então para não dar as mesmas desculpas dos anos anteriores, resolvi alterar levemente a pergunta desse quesito. Assim, ao invés de responder por quais lançamentos estou ansioso, prefiro dizer por quais leituras estou ansioso para iniciar nesse ano.

32538951445_056e4030a3_c

Dos livros, estou muito ansioso por iniciar a leitura de “Estrelas Além do Tempo”. Desde que tomei conhecimento da história por ele contada desejo ler esse livro. E graças a querida amiga Sybylla, vou poder matar essa vontade.

Nos quadrinhos estou muito ansioso para ler o segundo volume de “Rainhas de Sangue: Isabel-A Loba da França”. Gostei bastante do primeiro volume, especialmente pelos belos desenhos do artista Jaime Calderón.

  1. Um (ou mais) desafio que se dispôs a participar em 2017?

Eu passei todo o ano de 2016 planejando ler os livros de Milton Santos. E tinha como meta comprar alguns para começar a compor minha biblioteca geográfica e, aqueles que não encontra-se para compra, pega-los emprestado na biblioteca da universidade. Mas como minhas condições financeiras esse ano talvez não me permitam o pequeno luxo de comprar livros e, sendo poucos os títulos do geógrafo baiano disponíveis na biblioteca,  fui obrigado a adiar o plano. Assim, me propus três desafios particulares: o primeiro, ler a maior quantidade de livros cuja temática seja voltada para a ciência geográfica. O segundo é ler o maior número possível de obras de autores sergipanos ou cuja temática seja Sergipe. Já o terceiro é retomar a leitura abandonada de três livros: “O Dia do Curinga” e “O Mundo de Sofia” ambos do autor norueguês Jostein Gaarder e “O Espírito das Leis” de Montesquieu.

  1. A adaptação mais aguardada por você em 2017?

mulher-maravilha

Eu sou tão por fora disso de datas de lançamento, que ao responder a TAG ano passado eu afirmei estar ansioso pelo lançamento do filme da Mulher Maravilha. Nenhum problema nisso a não ser pelo fato do filme estrear mesmo só em 2 de junho de 2017, e isso lá nos EUA. Pelo visto ansiedade pouca é bobagem.

  1. Uma leitura que pretende retomar em 2017?

integral_capa

Já que adiantei os livros que pretendo retomar ao responder o item 7, aqui falarei sobre os quadrinhos. Ano passado pretendia retomar a leitura da obra “Os Passageiros do Vento”. Faltavam três volumes, mas só consegui ler um deles e por isso pretendo retomar a leitura finalizando os dois últimos volumes. Além desses quero muito poder terminar “O Incal”, obra icônica de Moebius e Jodorowsky. Nem que seja para poder tira o gostinho amargo que ficou com o final de Megalex.

  1. Três livros e três quadrinhos da sua meta para 2017?

1-Só Garotos de Patti Smith. Apesar de gostar de livros que contem a história de grandes astros da música ou de bandas famosas, nem sempre consigo encontra-los com facilidade. Aproveitei que a biblioteca aqui tinha essa autobiografia da Patti Smith para inclui-la em minha meta de leituras para esse ano.

2-Quarto de Despejo de Carolina Maria de Jesus. Julgo ser esse um livro essencial. E, sendo assim, já passou, e muito, da hora de ler.

3-A Independência do Solo que Habitamos: Poder, Autonomia e Cultura Política na Construção do Império Brasileiro – Sergipe (1750-1831) de Edna Maria Matos Antonio. Tese de doutorado, transformada em livro através do Programa de Publicações Digitais da Pró-Reitoria de Pós-Graduação da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho (UNESP). Para conhecer um pouco mais a fundo sobre como se deu o processo de emancipação política de Sergipe.

1-“Maus” de Art Spiegelman. Clássico quadrinho vencedor do Pulitzer. Uma visão diferenciada dos horrores da Segunda Guerra, objeto de estudo em várias especialidades. Decidi que esse ano tenho de ler essa obra-prima, mesmo que para isso precise compra-la.

2-“Placas Tectônicas” de Margaux Motin. Tenho visto tanta gente boa falando bem dessa HQ que resolvi arriscar. Pelo que já li sobre ela é coisa fina e promete.

3-“Campos de Batalha” de Garth Ennis (texto) e Russ Braun e Peter Snejbjerg (desenhos). Desde que tomei conhecimento da existência de um esquadrão de pilotas russas enviadas em missões noturnas contra os nazistas na Segunda Guerra me interessei em saber mais sobre elas.

*  *  *

Curtiu o post? Está gostando do Habeas Mentem? Então comente aí, curta, compartilhe e não deixe de curtir também nossa fanpage! Até mais!

Anúncios

2 comentários sobre “TAG: LIVROS 2017

  1. “Eu passei todo o ano de 2016 planejando ler os livros de Milton Santos.” A vida já tá tão difícil e você queria sofrer mais ainda?? :P

    Placas Tectônicas eu quero muito ler também. O preço tava um pouco salgado, então estou esperando uma promoção básica aparecer. :D

    • Pois é, Syb! Tô numa fase de sofrência geográfica para querer ler Milton Santos :D Mas o danado vai ser necessário para umas ideias que to tendo aqui na cachola. Então vamos ver no que dá né rsrs.
      Como eu disse na postagem é tanta gente boa falando bem de Placas Tectônicas que decidi ler também para tirar minhas conclusões. E não só ela mas também Pílulas Azuis de Frederik Peeters que só tem crítica boa, inclusive uma sua muito bacana lá no Momentum Saga! Quero muito comprar as duas!
      Bjs Syb!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s