09 FILMES CLÁSSICOS (QUE NÃO SÃO) DA SESSÃO DA TARDE

tv_cinema

Se existe algo extremamente comum na internet, são blogs listando os chamados “Clássicos da Sessão da Tarde”. Praticamente todo blog possui uma versão dessa lista. Eu mesmo pensei em fazer minha versão, afinal, além de cinéfilo e tendo assistido bastante a Sessão da Tarde e outras sessões, todo mundo já sabe o quanto gosto de listas. Mas acabei desistindo da ideia.

Desisti justamente por ser uma ideia extremante difundida e cheia de clichês os quais eu repetiria de uma maneira ou de outra. Ou alguém duvida que meu filme número 1 não fosse “Curtindo a Vida Adoidado” ou “Conta Comigo”?

Mas vendo com atenção as zilhões de listas pela net, percebi que muitos dos filmes listados não foram exibidos originalmente na Sessão da Tarde. Mesmo que hoje em dia, alguns deles façam parte do setlist da dita sessão, determinados filmes fizeram sucesso, ou, mais especificamente no meu caso, lembro de tê-los assistidos em outras sessões televisivas de cinema. Foi daí que tive a ideia de listar alguns filmes que, apesar da galera nessas listas dizer que era da Sessão da Tarde, na realidade passaram (e foram devidamente reprisados) em outras sessões. Ou pelo menos que eu tenha assistido em alguma dessas outras sessões.

Então, senta no sofá, pega a pipoca e bora acompanhar comigo essa Sessão Nostalgia:

SESSÃO DAS DEZ

Além de ser uma música bacana do Raul Seixas, a Sessão das Dez era uma sessão de filmes do SBT que sempre exibia seus clássicos às dez horas dos domingos. Fez muito sucesso nas décadas de 80 e 90 e na minha memória se destacou por ter sido a sessão onde assisti alguns dos filmes de cenas mais impactantes. Confira abaixo o vídeo com sua abertura mais conhecida e relembre três filmes por ela exibidos.

Mad Max

A abertura aí em cima não me deixa mentir: o primeiro filme da saga de Max Rockatansky foi bastante exibida aqui e, até onde lembro, jamais na irmã global da tarde. Duas cenas me marcariam nesse filme: o choque da motocicleta do vilão da história de frente com um caminhão e o sapatinho do filho de Max rolando pela pista após ser atropelado com a mãe pela gangue de motoqueiros. Essas duas cenas fizeram parte dos meus pesadelos por boa parte de minha infância.

Ainda hoje essa cena me dá calafrios (Imagem do www.pipocagigante.com.br)

Ainda hoje essa cena me dá calafrios
(Imagem do http://www.pipocagigante.com.br)

Alligator

Esse clássico meio trash dá vida a uma das lendas urbanas mais persistentes lá dos USA: a de que jacarés vivem nos esgotos das grandes cidades. No filme o bichinho cresce descomunalmente depois de comer carcaças de animais que sofreram tratamento com hormônios e parte pra destruição da cidade. Foi talvez com esse filme que entendi o significado da expressão “humor involuntário”, pois, apesar da estrela que dá nome ao filme ser muito bem feito, em várias cenas eu sempre ria muito, quando deveria, em teoria, morrer de medo. Melhor exemplo disso é a cena em que o bichão invade uma festa de casamento e logo de cara devora uma empregada que tolamente se deixa devorar pelo lento animal. Isso e as reações dos convidados em pânico mal coreografado me fazem rir até hoje.

Sério, moça: Era só correr!

Sério, moça: Era só correr!

O Ataque dos Vermes Malditos

Um dos filmes mais recentes dessa lista. A primeira vez que o assisti, ironicamente, não foi na Sessão das Dez, mas no Cinema em Casa. Então, por que diabos o coloquei aqui? Porque quando o filme passou na Sessão das Dez eu estava de castigo e fui obrigado por minha mãe a ir dormir mais cedo. Com raiva, não consegui pegar no sono e acabei acompanhando todo o filme apenas pelos diálogos e efeitos sonoros, enquanto tentava imaginar em minha mente o que se passava na telinha que eu não podia ver. Tempos depois quando o filme foi reexibido no Cinema em Casa, o reconheci de imediato justamente por causa dos diálogos e sons. E nenhuma cena era igual às por mim imaginadas no castigo. Mas o filme é legal e, como curiosidade, tem no elenco Kevin Bacon e Bibi Besch astros que já participaram de dois filmes de Jornada nas Estrelas.

Pense num bichinho feio

Pense num bichinho feio

CINEMA EM CASA

Essa série estreou no dia 17 de agosto de 1988 (e eu acompanhei a primeira exibição). Era uma espécie de Sessão da Tarde do SBT, que, no melhor estilo SBT de ser, podia ser exibido em qualquer horário. São inúmeros os clássicos dessa sessão que são atribuídos a irmã global. Na verdade ambas exibiram muitos dos mesmos filmes ou uma acabava por exibir continuações dos filmes que passavam na outra. Exemplos são inúmeros tais como “Olha Quem Está Falando” e “A Lagoa Azul” só para ficar nos mais famosos. Confira abaixo sua vinheta e meus filmes preferidos exibido nela.

Rambo – Programado para Matar

Esse foi o primeiro filme a ser exibido pelo Cinema em Casa e, como eu disse, assisti esse début. E foi também uma grata surpresa a história do soldado com traumas de guerra, que praticamente destrói uma cidadezinha por não conseguir se adequar mais a sociedade. Longe de ser a pancadaria, tiroteio e explosões sem sentido dos filmes-testosteronas prolíficos nos anos 80 e 90, considero esse um dos melhores filmes de Stallone, ao lado, óbvio, de “Rocky, um Lutador”. É outro exemplo de filme cujas continuações fizeram sucesso na concorrente (apesar que nesse caso as continuações são horríveis!).

Minha cena preferida do filme

Minha cena preferida do filme

Exterminador do Futuro

Saindo de um brutamontes para outro. Foi no Cinema em Casa que passei a acompanhar as desventuras de Sarah Connor com o exterminador enviado do futuro para mata-la antes que pudesse dar à luz ao futuro líder da resistência humana contra as máquinas. Acho que até hoje é o filme que mais vezes assisti graças as inúmeras reprises do SBT. Apesar da cena em que Arnold tira com uma faquinha o olho defeituoso ter me dado muitos pesadelos na época (anos 80, galera, eu nem tinha dez anos ainda), essa sempre foi minha cena preferida do filme.

Férias Frustradas

Esse filme já me rendeu uma bela de uma discussão com um colega, pois ele tinha certeza que o filme foi exibido na Sessão da Tarde. Ele não aceitou de jeito nenhum que, na realidade, o filme exibido era na realidade a continuação. Esse aqui (que inclusive vai receber uma refilmagem) foi exibido no Cinema em Casa, onde foi igualmente exibido à exaustão! Eu gostava de assistir as desventuras de Chevy Chase nesse filme, mas confesso que não gostava nada do final. Nem me perguntem por quê. Talvez porque eu tenha ficado realmente chocado com a cena do cachorro preso no para-choque do carro. Ou talvez porque quando o assisti eu já estava amadurecendo. Talvez os dois.

Mesmo criança não curti muito esse filme

Mesmo criança não curtia a cena da morte do cachorro

SESSÃO DE SÁBADO

Talvez a mais desconhecidas dessas sessões, a Sessão de Sábado era tipo um quebra-galho da Globo quando acabavam os campeonatos estaduais e o brasileiro de futebol (que na época eram exibidos principalmente aos sábados). E também era uma das minhas preferidas, por exibir praticamente os mesmos filmes, um mais surreal e interessante que o outro.

A Revolta dos Brinquedos

Esse filme não é nem de longe o melhor filme de Robin Williams. Mas é com certeza um dos filmes que eu mais curtia assistir nos sábados. Curiosamente – e lembro bem disso – o assisti três vezes, sempre na Sessão de Sábado. Adorava acompanhar os perrengues do herdeiro de uma fábrica de brinquedos ao lidar com seu tio que pretendia militarizar a produção criando armas disfarçadas de brinquedos. Além de uma divertida crítica aos brinquedos militarizados facilmente encontrados em qualquer loja, o filme é de uma produção deliciosamente surreal, a começar pelo cartaz do filme claramente inspirado na pintura de Rene Magritte.

Um agradecimento a Samantha do Meteorópole por me ajudar a lembrar do nome do Rene Magritte.

O belo pôster do filme (Saudade Robin Williams)

O belo pôster do filme
(Saudade Robin Williams)

Predador

Antes que me digam que já cansaram de assistir “Predador” (o primeiro, aquele com tio Arnold mandando bala pra todo lado), em várias outras sessões já vou avisando que sim, esse filme passou na Sessão da Tarde, Domingo Maior etc., etc., etc. Porém por uma espécie de maldição (ou quase nada para se fazer aos sábados a tarde), das três vezes que me lembro de ter assistido esse clássico da ficção, todas as três vezes foram na Sessão de Sábado. Aliás, lembro muito bem da primeira vez, quando já peguei o filme no final, bem na cena em que começa a luta entre Arnold e o Predador. Não por acaso, minha cena favorita do filme até hoje.

RAAARRRGGGGHHHH!!!

RAAARRRGGGGHHHH!!!

As Bruxas de Eastwick

Mesmo sendo um filme com Cher, Susan Sarandon, Michelle Pfeiffer e Jack Nicholson em seu elenco e de ter sido dirigido por George Miller, diretor da série Mad Max, isso era tudo o que eu lembrava a seu respeito: três mulheres entediadas que acabam se envolvendo com um misterioso forasteiro. Pesquisando um pouco mais fui lembrando outros detalhes dessa interessante obra. Baseado no livro de mesmo nome de um tal John Updike, aparentemente a história era para ser pró-feminista, mas tenho cá minhas dúvidas se ele conseguiu. Lembrei também que o filme é bastante desbocado, tendo até uma cena bem proibida para menores de 18 anos onde as três moças transam com o forasteiro. E, se me lembro disso, é porque muito provavelmente a Globo botou a cena no ar. No sábado e a tarde!

Ah os anos 90…

As Bruxas em ação

As Bruxas em ação

Para terminar, eu não poderia deixar de falar do clássico mor não só da Sessão da Tarde como de todas as Sessões: “A Lagoa Azul”! Mas, pera lá: “A Lagoa Azul” ou “De Volta a Lagoa Azul”? Então, muita gente se confunde quando fala da história do jovem casal que descobre o amor e o perigo numa ilha deserta (adoraria saber quem escreve essas chamadas). Na verdade o filme “A Lagoa Azul” é o primeiro filme, sendo estrelado por Brooke Shields e Christopher Atkins e era reprisado ad nauseam nas sessões do SBT, especialmente no Cinema em Casa. Já a sua continuação – sim porque “De Volta a Lagoa Azul” é a continuação do primeiro filme – (re)conta a história do filho do casal Shields e Atkins e uma garotinha (vividos por Brian Krause e Milla Jovovich, respectivamente, quando adultos) que vão parar na mesma ilha do primeiro filme. Essa continuação, por sua vez, era muito reprisada na Globo na nossa sessão famosa, sendo talvez o filme mais reprisado da história da tv nacional.

desmotivacional-lagoa-azul-googleboys

* **

E vocês? Tem algum filme “clássico da Sessão da Tarde SQN” preferido ou que tenha marcado sua infância? Conta aí pra gente!

E se você gosta do blog, não deixe de curtir nossa página do Facebook.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s